O 'Life Rupis – Conservação do britango e da águia-perdigueira no vale do rio Douro’ (LIFE14 NAT/PT/000855) é um projeto de conservação transfronteiriço, com a duração de 4 anos (2015 – 2019), cofinanciado através do programa LIFE da Comissão Europeia.

O projeto, que decorre em território português e espanhol, mais concretamente nas áreas protegidas do Douro Internacional e Vale do Rio Águeda e dos Arribes del Duero, pretende implementar ações que visam reforçar as populações de britango e águia-perdigueira nesta região, através da redução da sua mortalidade e do aumento do seu sucesso reprodutor. O abutre-preto e o milhafre-real são espécies que também irão beneficiar das ações do projeto.




EM DESTAQUE
Portugal perde oportunidade de dar o exemplo na preservação da natureza e da saúde pública

No dia 11 de janeiro, Portugal perdeu uma oportunidade de dar o exemplo em matéria de conservação da natureza e salvaguarda da saúde pública. A Assembleia da República decidiu não proibir o diclofenac, um medicamento veterinário fatal para abutres e águias. Com esta decisão, que contraria uma resolução da própria Assembleia em abril passado, mantém-se viva uma séria ameaça a várias espécies protegidas e à saúde pública no país. Evitar o sério risco que este fármaco representa continua assim nas mãos da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), que tem em apreciação um pedido de comercialização já há mais de 2 anos.




O Douro já está a caminho
2019-02-18
O britango Douro já deixou o seu território de invernada no Mali, e está a caminho. Com base nas suas viagens passadas, esperamos que atravesse o estreito de Gibraltar no próximo fim de semana.
Abutre-preto devolvido à natureza
2019-01-25
Um abutre-preto juvenil encontrado em outubro numa rotunda em Valongo foi agora devolvido à natureza no Douro Internacional.
Escassez de principais presas pode levar águias-perdigueiras a abandonar territórios
2019-01-22
A escassez de coelhos e perdizes pode levar águias-perdigueiras a abandonar territórios. É esta a conclusão de um estudo da disponibilidade alimentar na área de estudo do projeto Life Rupis. O estudo, realizado por Max Hoppe da Universidade Técnica de Braunschweig, na Alemanha, irá ajudar a informar as nossas ações de gestão de habitats.